Dieta anti-inflamatória para combater a celulite

A celulite é uma inflamação, caracterizada por gordura aprisionada nos tecidos, que dificulta a renovação das células e favorece não só o surgimento dos “furinhos” na pele, mas também o excesso de peso, a flacidez e o envelhecimento precoce.

O perfeito funcionamento celular e de cada órgão ocorre apenas quando o organismo está livre de toxinas e substâncias inflamatórias e recebendo todos os nutrientes necessários para suas funções.

Encontramos exemplos de nutrientes com potencial anti-inflamatório nos seguintes alimentos:

– óleo de abacate: possui inúmeros compostos que trabalham em conjunto no combate à inflamação. Isto inclui os carotenóides, fitosteróis, ácidos graxos ômega-3 e ômega-9 e a vitamina E.

– óleos de peixe, chia e linhaça: ricos em ômega-3, ácido graxo que diminui significativamente a produção e efetividade de prostaglandinas – substâncias naturais similares a hormônios, que podem acentuar a inflamação.

– cranberry, goji berries: são ricas em flavonóides (como as antocianinas), que neutralizam a ação dos radicais livres, moléculas responsáveis por danos ao nosso organismo. Pesquisas têm mostrado que as antocianinas inibem a enzima ciclooxigenase (impedindo a síntese de prostaglandinas) de modo mais eficiente do que alguns medicamentos anti-inflamatórios. Melhor ainda: sem os efeitos colaterais indesejáveis!

– suco de uva integral: a atividade anti-inflamatória desse alimentos fica por conta do resveratrol. Além disso, os antioxidantes fenólicos relaxam os vasos sanguíneos, favorecendo a circulação e auxiliando na prevenção da celulite.

– romã: o ácido elágico presente na fruta possui excelente atividade anti-inflamatória, prevenindo contra as alterações celulares causadas pelos radicais livres.

– gengibre: o gingerol, principal composto bioativo deste alimento, inibe a formação de moléculas pró-inflamatórias, além de preservar as moléculas anti-inflamatórias.

– chá verde: fonte de epigalocatequina galato (EGCG), é anti-inflamatório e termogênico, favorecendo também o emagrecimento. E, ainda, o chá ajuda a hidratar o tecido, outro aspecto importante para melhorar a aparência da celulite.

– licopeno: o licopeno é o antioxidante mais potente entre os carotenoides, protegendo o organismo contra o estresse oxidativo. Ele reduz os mediadores inflamatórios, além de melhorar a circulação sanguínea.

– aveia:  É fonte de silício, mineral importante para a produção de colágeno, substância responsável pela firmeza e elasticidade da pele.

Além de incluir esses alimentos no cardápio, é fundamental a redução do consumo de produtos com alto potencial inflamatório, como os embutidos, as carnes gordas, o leite integral, os doces, os refrigerantes, os alimentos refinados, os enlatados e os produtos industrializados em geral. Esses itens também tendem a acidificar o nosso organismo. E para estar em equilíbrio e reduzir a produção de substâncias inflamatórias, o pH sanguíneo deve estar alcalino.

Fonte: http://www.mundoverde.com.br

Anúncios

Alimentação X Herpes

Algumas modificações na dieta podem ser eficazes, já que com a imunidade em alta, fica mais difícil de o vírus aparecer. Veja as dicas:

Probióticos? Sim!
Microorganismos vivos (bactérias benéficas) que recuperam a microbiota intestinal e fortalecem o sistema imunológico. Encontrados em cápsulas ou saches (pó).

Contra o vírus: óleo de coco e óleo de alho
Ambos possuem propriedades antibactericidas, antifúngicas e antivirais. Fortalecem o sistema imunológico, aumentando a resistência do organismo.

Chia e linhaça:
São boas fontes de ômega-3, capaz de melhorar o sistema imune. Também podem ser encontradas na forma de óleo.

Aminoácido do bem 
A lisina protege o corpo contra a ação do vírus e evita a ação do mesmo sob o organismo. O mecanismo explicativo para que isso ocorra é que por meio da lisina, o corpo passa a produzir enzimas, hormônios e anticorpos, que ajudarão no combate à doença. Boas fontes alimentares deste aminoácido são: ovos, peixes, soja e iogurte natural.

Sinal de alerta! 
Sabe-se que um nutriente chamado arginina é capaz de estimular a replicação e o crescimento do vírus. Deve ser evitado por aqueles que freqüentemente apresentam as feridas características da doença.

Alimentos fontes de arginina são: chocolate, milho, aveia e oleaginosas.

Fonte: http://www.mundoverde.com.br

Ômega 3 pode ajudar a prevenir cegueira


Os ácidos graxos ômega 3, contidos em alimentos como peixes e ovos, podem ajudar a prevenir a retinopatia, uma doença nos olhos que pode provocar cegueira em pessoas com diabetes e bebês prematuros, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira pela revista Science.

O artigo na íntegra:

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,omega-3-pode-ajudar-a-prevenir-cegueira–diz-estudo,677707,0.htm