Proteção Vermelha: Os benefícios do morango

Proteção Vermelha

O morango está cheio de nutrientes, favorece a beleza e beneficia a saúde, prevenindo tumores e problemas cardiovasculares

A Importância do Cálcio

O cálcio exerce funções muito importantes. Para tais funções, há necessidade de sais de cálcio disponíveis no sangue. Sendo os ossos o grande estoque deste mineral, quando não há fornecimento via alimentação, o sangue busca no osso o cálcio que precisa.

Causas da osteoporose: vida sedentária, obesidade, mulheres na menopausa com baixos níveis de estrogênio, uso crônico de diuréticos e antiácidos, alterações na função da tireóide, tabagismo e estresse.

Fatores que interferem na absorção de cálcio:

– Deficiência de vitamina D disponível (esta precisa ser sintetizada pelo sol)

– Presença de fosfato (presente nos refrigerantes) e ácido fítico (presente no espinafre e na fibra de trigo)

– Grande quantidade de sódio na mesma refeição

– Excesso de proteínas – cada grama de proteína metabolizada aumenta as concentrações urinárias de cálcio cerca de 1,75 mg

– Excesso de fibras insolúveis (vegetais folhosos)

– Excesso de gorduras saturadas e açúcar refinado contribuem para maior excreção de cálcio

Fatores que melhoram a absorção:

– Flora intestinal íntegra

– Horário do consumo: o pico de concentração do paratohormônio é à noite, sendo este o horário mais adequado para suplementação, pois pode impedir a remoção do cálcio no sangue, preservando o cálcio do osso. Para manter níveis adequados de cálcio no sangue, o ideal seria consumir pequenas doses ao longo do dia, através dos alimentos.

– É na relação entre os minerais que acontece sua absorção. Não há absorção de cálcio sem magnésio, pois este equilibra o Ph sanguíneo

– Minerais envolvidos com o cálcio e sua absorção óssea: magnésio, zinco, boro, silício, vitamina K, manganês, vitamina C, cobre, potássio.

O leite de vaca é citado como a melhor fonte mas quanto mais se sabe sobre o leite e sua composição química, menos indicado como fonte de cálcio ele se torna:

– o leite de vaca não contém magnésio, mantém o ph do estômago alcalino, o que impede a absorção do cálcio. As proteínas do leite de vaca são fermentadas por bactérias no intestino, acidificando o meio e impedindo a ação do cálcio.
– O leite torna o ph sangüíneo alcalino: necessitando de mais cálcio para equilibrar este ph, busca nos ossos o cálcio que está faltando.

Se analisarmos todas estas questões em conjunto, percebemos que o maior problema não está no consumo de leite e sim no alto consumo do mesmo e de seus derivados, em detrimento de alimentos fontes dos outros minerais necessários para o equilíbrio orgânico. É esse desequilíbrio que facilita as reações alérgicas, intoxicação e transtornos funcionais, inclusive osteoporose.

 

Pólen


O pólen é o elemento masculino da flor e tem sido utilizado há muito tempo, principalmente entre adeptos da alimentação natural, como um suplemento da dieta
humana, provavelmente pela riqueza em relação a proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais. Análises químicas do pólen mostraram que ele contém lipídeos, aminoácidos livres, além de vitaminas, enzimas, coenzimas e pigmentos. Dentre as vitaminas, destacam-se o ácido pantotênico e nicotínico, tiamina, riboflavina, ácido ascórbico e pequenas quantidades de vitaminas D e E, grande quantidade de substâncias nitrogenadas, a metade em forma de aminoácidos livres como: ácido glutâmico, arginina, cistina, isoleucina, leocina, lisina, metionina, e fenilanina. É uma fonte preciosa de oligo-minerais com mais de 22 elementos. Os oligo-minerais são elementos químicos (titânio, níquel, cobalto, silício) que o organismo humano necessita em pequenas quantidades. O pólen é recomendado para pessoas que têm problemas com visão deficiente, envelhecimento cerebral, anemia, aparelho digestivo, cardiovascular e urinário, hormônios sexuais e prostatismo. Também regula a flora intestinal, regenera a hemoglobina e os glóbulos vermelhos e, por conseguinte, contribui para a melhor oxigenação do sangue e dos tecidos. É extraordinário tonificante e estimulante gerador de bem estar e vigor físico e mental, resultando em equilíbrio funcional, natural e harmonioso, que ajuda no combate ao estresse, úlcera duodenal, ação bacteriostática na flora intestinal, estimula as funções gástricas, trata de diarréias crônicas, combate fragilidade vascular, aterosclerose e hipertensão arterial, combate depressão física e mental, trata fragilidade cutânea, fraqueza ocular, evita queda prematura dos cabelos, serve como medicamento em certos casos de diabetes, melhora insônia, distúrbios de memória, impotência e astenia sexual, além de muitas outras indicações. Na China estudos foram realizados comprovando que o pólen tem poder de reduzir o colesterol, sendo que pacientes com taxas de colesterol de 279 mg/dl e lipídios neutros de 210 mg/dl, após dois meses de administração de pólen baixaram as taxas laboratoriais para colesterol 158 mg/dl e lipídios neutros 102 mg/dl.
O uso humano tem sido tanto alimentício, puro ou associado com mel, em saladas, iogurte, cereais, vitaminas, na quantidade de uma colher de sopa rasa para adultos e metade para jovens.
A utilização do pólen pelo homem deve ser feita com critério, já que ele pode conter fungos e pesticidas, ou pode causar alergia em pessoas sensíveis ao pólen. No entanto, existem informações de sua ampla utilização por gregos, egípcios, persas e chineses.

Benefícios do Ovo

Pesquisadores descobriram que ingerir o alimento pela manhã faz toda a diferença no emagrecimento. O ovo espanta a fome por ser fonte de proteína de alto valor biológico e rico em aminoácidos essenciais, deixa a digestão mais lenta aumentando a sensação de saciedade. A gema é rica em vários nutrientes, como vitaminas A, do complexo B, E, K, D, zinco, ferro e selênio. Todas essas substâncias antioxidantes ajudam a equilibrar o organismo e combater o envelhecimento precoce das células. A gema ainda contém gorduras do bem – a monoinsaturada e ômega 3 que ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue, evitando picos de insulina, que disparam o apetite e favorecem a deposição de gorduras. A clara possui leucina, um aminoácido que ajuda a manter a massa magra. Também é uma excelente fonte de triptofano, aminoácido precursor da serotonina,
substância associada à sensação de bem-estar. Indivíduos saudáveis devem consumi-los de três a quatro vezes por semana. É necessário ficar de olho no modo de preparo: cozido ou mexido, nunca frito. E dar preferência ao ovo pela manhã. Isso faz com que você fique saciado e ingira menos calorias ao longo do dia.

Chocolate que emagrece

Há, atualmente, um chocolate feito em farmácias de manipulação, que ajuda no processo de emagrecimento.
Uma pesquisa da Universidade de Chung Hsing, em Taiwan, coordenada pelo Departamento de Ciência do Alimento e Biotecnologia da instituição, divulgou que são os ácidos fenólicos presentes no cacau os responsáveis pela ação emagrecedora. Eles interferem na produção da leptina, o hormônio da saciedade – que, nos obesos, é bem reduzida -, e ainda queimam calorias. Sem contar a ajuda extra dos antioxidantes, que previnem o acúmulo de gordura nas células.
Os fitoquímicos do cacau melhoram a secreção da adiponectina, o que aumenta a ação anti–inflamatória, reduzindo os riscos de diabete e aterosclerose (alterações nos vasos sanguíneos que levam à obstrução dos mesmos).
Outro dado apontado na pesquisa, publicada no Journal of Agriculture and Food Chemistry, uma das revistas americanas de maior prestígio no mundo da nutrição, atribui ao cacau o poder inibir um mecanismo que faz o organismo estocar ou produzir mais gordura. Toda essa riqueza está no chocolate amargo — quanto mais, melhor. O amargor, bem entendido, e não a quantidade do chocolate consumido.
Quando mais amargo o chocolate, melhor para a sua saúde As propriedades do chocolate estão contidas em sua fonte original, o cacau
Pesquisas apontaram que os pacientes que consumiram um tablete amargo pela manhã, ainda em jejum, ficaram mais saciados que o restante da turma: eles ingeriram 15% menos calorias ao longo do dia em comparação com o grupo que optou pelo chocolate ao leite.
A 2-feniletilamina e a N-aciletanolamina, presentes no cacau, agem no cérebro fechando os receptores para à vontade de doce.
O chocolate também concentra compostos que inibem a degradação da anandamida, substância que prolonga a sensação de bem-estar.
Ação sobre a Insulina
Outra vantagem do chocolate amargo seria a capacidade de melhorar a sensibilidade à insulina em pessoas saudáveis. Este mecanismo ajuda não só a combater o diabete como a evitar a produção excessiva de insulina, que está intimamente ligada ao estoque de gordura.
O chocolate também é rico em carboidratos, que ajudam na produção da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer. Além disso, concentra outras substâncias, como triptofano, teobromina, feniletilamina, tetrahidrocarbolines, fenilalanina e tirosina – estes reforçam a sensação de bem-estar.
Outras vantagens:
* Ajuda a reduzir a pressão por ter ação vasodilatadora.
* Impede a oxidação da gordura ruim (LDL), evitando que placas se acumulem nos vasos.
* Aumenta a imunidade, estimulando a produção de linfócitos, um tipo de glóbulo branco que defende o organismo contra vírus e bactérias.
* Pode auxiliar na proteção dos neurônios contra doenças degenerativas, como o mal de Parkinson e o de Alzheimer.
* Reduz alguns sintomas da TPM, como depressão, e contribui para suprir eventuais carências de minerais, como magnésio, comuns nesse período do mês e também durante fases de estresse agudo.
* O seu limite é de 30 gramas por dia, que equivale a uma barra pequena. Não pense em exagerar porque, mesmo sendo saudável, ele contém bastante caloria (100 gramas equivalem, em média, a 530 calorias!).
Aqui no Brasil e em outros lugares do mundo, já está sendo usado chocolate como coadjuvante aos tratamentos para emagrecer e junto com as já sabidas ações do cacau, adicionam outras substâncias (liberadas para o uso na prática médica) para potencializar os efeitos já citados.
Uma destas substâncias é a alga espirulina, que envia mensagem ao cérebro diretamente do aparelho digestivo dizendo que o corpo está saciado, reduzindo assim a fome e promovendo o emagrecimento.
Este chocolate deve ser prescrito pelo seu médico ou nutricionista para formulação e deve conter, o cacau, polissacarídeos mussilaginosos da babosa, L-glutamina (aminoácido), glucomannan (fibra que provém de uma planta africana, que em contato com líquidos no estômago se transforma em um gel, dando sensação de saciedade por até 4h), alga spirulina orgânica e outros. Esses ingredientes são capazes ainda de ativar a produção de fenilalanina — aminoácido presente no cérebro que ativa neutrotransmissores para promoverem a saciedade.
Podemos ainda adicionar nesta formulação o colágeno, que ajudará ainda no processo de combate ao envelhecimento e flacidez.
Como ele reduz a fome, o consumo diário de calorias diminui em até 50%. Menos calorias, menos peso. Todos os ingredientes estão em concentrações razoáveis, e não provocam alterações no sabor final.
A melhor maneira de se usar este chocolate é cerca de 1 hora antes das refeições principais (café da manhã, almoço e jantar). Cada barra de 25g desse chocolate reúne 120 calorias. É feito de cacau orgânico, sem adição de açúcar ou gordura trans.

Cesar Giobbi, 13-04-2010