Fruta da vez: Melão

Composto de 80% de água, o melão hidrata mesmo quando consumido aos pedaços. Se você preferir transformá-lo em suco vá em frente, mas evite coar. Do contrário, você elimina boa parte das fibras que também estão presentes na polpa e são muito bem-vindas. Elas garantem o poder da fruta em eliminar toxinas e a desinchar, o que ajuda muito na conquista de uma barriga mais lisinha. E, por ter poucas calorias – só 30 em uma fatia média (100 gramas) -, o melão facilita a perda de peso!

Controlar a fome é seu maior desafio? O melão continua sendo um grande aliado. Rico em pectina, um tipo de fibra na forma de gel, ele aumenta rapidamente a sensação de saciedade. Experimente incluir pedaços da fruta na salada: o apetite diminui bastante logo no começo da refeição, evitando que você exagere nos pratos mais pesados. A dieta também fica mais gostosa: com textura macia e sabor levemente adocicado, o melão combina com as folhas verdes, especialmente as ardidinhas como rúcula e agrião.

O melão está na lista dos alimentos funcionais – ou seja, ele carrega substâncias que, além de nutrir, reduzem a retenção de líquidos, melhoram o funcionamento do intestino e reforçam o sistema imunológico.

Entre os minerais, a maior estrela do melão é o potássio: são 213 miligramas em cada 100 gramas da fruta. Por estar associado ao controle da pressão arterial, o potássio é essencial à saúde do coração.  É importante fonte de vitaminas antioxidantes (A, E e C) famosas por adiar o envelhecimento precoce. Ferro (importante para combater anemia) e cálcio (indispensável para os ossos) também estão presentes nessa fruta.

Qual melão escolher

Amarelo valenciano. Redondinho e com a casca amarela e rugosa, é facilmente encontrado no Brasil. A polpa é firme e a cor varia de branco esverdeado a creme. É o mais magrinho de todos (tem 25 calorias em uma fatia média/100 gramas) e, depois de maduro, é o que dura mais, além de ter o menor preço.

Cantalupo. Seu nome é o mesmo de uma vila italiana, onde supostamente foi cultivado pela primeira vez no século 17. A textura da casca lembra o desenho de uma rede e, por isso, também é conhecido por melão de rede. Tem formato redondo ou oval e sabor bastante doce. Quanto mais intensa a cor da polpa, que vai do amarelo-alaranjado ao salmão, maior é a concentração de vitaminas A e E. Esse tipo também supera os outros em potássio (309 miligramas em 100 gramas). Mas é sensível ao transporte e estraga rapidamente depois de maduro.

Pele-de-sapo. A casca levemente rugosa e de coloração verde-clara com pequenas manchas verdeescuras são responsáveis pelo nome desse melão. Oval ou alongado, ele tem a polpa branca ou esverdeada com textura entre média e macia. É uma das variedades menos doces, mas ganha na quantidade de líquido.

Gália. Esse tipo israelense é produzido especialmente no nordeste do Brasil. Quando amadurece, a casca fica amarela e ganha estrias finas. A polpa é macia, de cor branca ou esverdeada, e tem aroma marcante. Seu sabor lembra o do cantalupo.

Fonte: http://www.boaforma.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s