Pólen


O pólen é o elemento masculino da flor e tem sido utilizado há muito tempo, principalmente entre adeptos da alimentação natural, como um suplemento da dieta
humana, provavelmente pela riqueza em relação a proteínas, lipídios, vitaminas e sais minerais. Análises químicas do pólen mostraram que ele contém lipídeos, aminoácidos livres, além de vitaminas, enzimas, coenzimas e pigmentos. Dentre as vitaminas, destacam-se o ácido pantotênico e nicotínico, tiamina, riboflavina, ácido ascórbico e pequenas quantidades de vitaminas D e E, grande quantidade de substâncias nitrogenadas, a metade em forma de aminoácidos livres como: ácido glutâmico, arginina, cistina, isoleucina, leocina, lisina, metionina, e fenilanina. É uma fonte preciosa de oligo-minerais com mais de 22 elementos. Os oligo-minerais são elementos químicos (titânio, níquel, cobalto, silício) que o organismo humano necessita em pequenas quantidades. O pólen é recomendado para pessoas que têm problemas com visão deficiente, envelhecimento cerebral, anemia, aparelho digestivo, cardiovascular e urinário, hormônios sexuais e prostatismo. Também regula a flora intestinal, regenera a hemoglobina e os glóbulos vermelhos e, por conseguinte, contribui para a melhor oxigenação do sangue e dos tecidos. É extraordinário tonificante e estimulante gerador de bem estar e vigor físico e mental, resultando em equilíbrio funcional, natural e harmonioso, que ajuda no combate ao estresse, úlcera duodenal, ação bacteriostática na flora intestinal, estimula as funções gástricas, trata de diarréias crônicas, combate fragilidade vascular, aterosclerose e hipertensão arterial, combate depressão física e mental, trata fragilidade cutânea, fraqueza ocular, evita queda prematura dos cabelos, serve como medicamento em certos casos de diabetes, melhora insônia, distúrbios de memória, impotência e astenia sexual, além de muitas outras indicações. Na China estudos foram realizados comprovando que o pólen tem poder de reduzir o colesterol, sendo que pacientes com taxas de colesterol de 279 mg/dl e lipídios neutros de 210 mg/dl, após dois meses de administração de pólen baixaram as taxas laboratoriais para colesterol 158 mg/dl e lipídios neutros 102 mg/dl.
O uso humano tem sido tanto alimentício, puro ou associado com mel, em saladas, iogurte, cereais, vitaminas, na quantidade de uma colher de sopa rasa para adultos e metade para jovens.
A utilização do pólen pelo homem deve ser feita com critério, já que ele pode conter fungos e pesticidas, ou pode causar alergia em pessoas sensíveis ao pólen. No entanto, existem informações de sua ampla utilização por gregos, egípcios, persas e chineses.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s